Loading

Vai viajar?

Encontre aqui dicas para a sua viagem...

Um passeio inesquecível pelas estações do metrô de Moscou

Um dos programas imperdíveis em Moscou é fazer um tour pelas principais estações de metrô da cidade. Inaugurado em maio de 1935, durante o período do governo de Stalin, o metrô de Moscou é um dos mais extensos e movimentados sistemas metroviários do mundo. O principal meio de transporte dos moscovitas conta com 207 estações, dentre elas, muitas com imensos corredores de mármore e esculturas em bronze, retratando a guerra e a vida dos trabalhadores da época. Não é por menos que o metrô de Moscou é conhecido como “Palácio Subterrâneo”!

Ainda que seja o principal e mais eficiente meio de transporte da cidade, andar de metrô em Moscou não é fácil. Não há placas ou mapas em inglês, e a comunicação com os moscovitas nem sempre é das melhores, pois nem todos falam inglês ou têm tempo para te dar atenção. Por esses motivos, é extremamente importante levar um mapa do metrô com você, ou usar algum aplicativo para celular que contenha esse mapa.

O metrô tem ao todo 12 linhas, identificadas com cores diferentes, sendo uma linha circular e onze radiais. As principais e mais bonitas estações (marcadas abaixo em vermelho) encontram-se no interior dessa linha circular, que corre pelo coração da cidade.

São mais de 9 milhões de usuários por dia utilizando as 207 estações de metrô. Por isso é muito importante se programar para fazer o tour fora dos horários de rush, ou seja, entre 10 da manhã e 6 da tarde. A duração do passeio vai depender do número de estações visitadas, mas eu sugiro reservar pelo menos duas horas do seu dia.

Observação: o tour pode ser feito com apenas um único bilhete: ao sair do vagão, dê uma volta pela estação, pegue o trem seguinte e siga viagem!

Veja, abaixo, as estações que merecem ser visitadas:

 

Mayakovskaya – a mais bonita!

Construída em 1938, essa estação de estilo art déco é considerada a mais bela da cidade e uma das mais bonitas do mundo! Projetada por Alexey Dushkin, possui arcos, paredes e piso de mármore branco e rosa, além de 34 mosaicos de teto que retratam “24 Horas na Terra dos Soviets”, com imagens populares como Dois Aviões, Colheita de Grãos, Dirigível sobre a Torre do Salvador e muito mais.

Por conta de sua profundidade (33 metros), durante a Segunda Guerra Mundial serviu de abrigo antiaéreo. Fica situada na linha Zamoskvoretskaya (linha 2 – verde escuro).

 

Komsomolskaya – a mais luxuosa!

Inaugurada em 1952, essa estação da linha Koltsevaya (linha 5 – marrom), foi projetada por Alexey Shchusev. É considerada a estação mais luxuosa, que representa o ápice do Império Stalinista, com seus elegantes lustres de bronze, arcadas de mármore e mosaicos monumentais. Apresenta colunas revestidas de mármore e um teto amarelo-ovo e ornado com oito painéis, representando a luta russa por independência e liberdade.

Fica localizada abaixo da praça Komsomolsaya, um importante ponto de transportes da cidade. Por isso, a movimentação costuma ser grande durante o dia.

 

Smolenskaya – a segunda mais profunda!

É uma das estações da linha Arbatsko-Pokrovskaia (linha 3 – azul escuro). Foi construída em 1953, em substituição a outra estação de mesmo nome. Situada a 50 metros abaixo da superfície, durante muitos anos foi a estação mais profunda de Moscou (desde 2003 perde apenas para Park Pobedy). O projeto é dos arquitetos Igor Rozhin e G. P. Yakovlev, que em meio a colunas de mármore branco, procuraram retratar os soldados do Exército Vermelho na batalha, chamados de “The Defenders of Russia”.

Esta estação fica ao lado do Hotel Mercure, cujo post você pode ler aqui.

Não é exatamente uma estação bonita, mas vale conhecer pela sua imensa escada rolante. Descer por ela dá uma sensação louca de estar entrando no centro da Terra! Incrível!

 

Arbatskaya – a segunda mais bonita!

É uma estação na linha Arbatsko-Pokrovskaya (linha 3 – azul escuro), projetada em 1953 para substituir uma seção de trilhas mais antiga e paralela, que havia sido destruída em um bombardeio durante a guerra. Entretanto, cinco anos depois, a seção antiga reabriu, criando uma situação bastante confusa, uma vez que, desde então, existem dois pares de estações completamente separadas com os mesmos nomes (Arbatskaya e Smolenskaya). Reparem no mapa!

A estação é grande e profunda, com uma plataforma de 250 m (a segunda mais longa em Moscou) e 41 m de profundidade. A decoração se destaca pelos lindos candelabros e pelo teto alto abobadado. Na minha opinião, sua beleza só perde para a Mayakovskaya.

 

Teatralnaya

É uma das estações da linha Zamoskvoretskaya (linha 2 – verde escuro), projetada pelo arquiteto Ivan Fomin, em 1938. O nome remete à região onde está situada: uma área repleta de teatros, entre eles o Teatro Bolshoi. Com uma imensa riqueza de detalhes, assim como a Mayakovskaya, é considerada pelos russos como uma grande preciosidade. Dizem que por estar localizada próximo a grandes atrações turísticas, como os teatros Bolshoi e Maly, a Praça Vermelha e o Kremlin, esta estação foi projetada para impressionar tanto os russos quanto os estrangeiros.

A estação tem uma curiosa particularidade, que é não ter seus próprios salões de entrada. A escada rolante norte leva à estação Okhotniy Ryad e a escada rolante sul para Ploshchad Revolyutsii.

 

Ploshchad Revolyutsii

Essa estação da linha Arbatsko-Pokrovskaya (linha 3 – azul escuro) foi projetada em 1938 pelo arquiteto Alexey Dushkin. Fica localizada embaixo da praça Revolyutsii.

O grande destaque são os arcos de mármore, cada qual com um par de esculturas de bronze do artista Matvey Manizer, que retratam pessoas da União Soviética, incluindo soldados, fazendeiros, atletas, escritores, entre outros. São ao todo 76 estátuas. Dizem que passar a mão em algumas dessas estátuas traz sorte. Na dúvida… por que não?

 

Novoslobodskaya

Projetada por Alexey Dushkin em 1952, essa estação da linha Koltsevaya (linha 5 – marrom) é conhecida pelos 32 vitrais, onde seis deles representam pessoas de diferentes profissões. Cada painel, rodeado por uma elaborada moldura de bronze, está junto a um dos pilares de mármore rosado dos Montes Urais e é iluminado pelo interior. A sensação que te dá é de estar dentro de uma linda igreja.

Na extremidade das plataformas há um mosaico de Pavel Korin, intitulado “Paz em Todo o Mundo”.

 

Kievskaya

Mais uma estação da linha Koltsevaya (linha 5 – marrom), inaugurada em 1954. Foi a última estação a ser construída no anel central de Moscou. A decoração tem como tema a história da Ucrânia e a amizade entre os povos ucraniano e russo. A parede final do corredor central da estação é um grande mural com imagens de bandeiras e um retrato em mosaico de Lenin.

 

Park Kultury

Inaugurada em 1950, essa estação da linha Koltsevaya (linha 5 – marrom) leva ao principal parque de Moscou, o Parque Gorky. Projetada pelo arquiteto Igor Rozhin, o espaço é todo revestido em mármore cinza, e nas paredes, esculturas em alto relevo retratam atividades esportivas e de lazer da juventude soviética.

 

Novokouznetskaya

É uma das mais luxuosas estações construídas durante a Segunda Guerra Mundial. Inaugurada em 1943, apresenta enormes bancos de mármore, medalhões de bronze com imagens de bandeiras, escudos e armas, e retratos de grandes comandantes militares russos. No teto, lustres gigantes e mosaicos retratam o cotidiano na União Soviética.

Fica situada na linha Zamoskvoretskaya (linha 2 – verde escuro).

.

Não deixe de ler as minhas dicas sobre o que ver na Praça Vermelha e em seus arredores!

.

Vai viajar? Não deixe de reservar o seu hotel pelo Booking.com. Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o Todos os Rumos no ar!

.

Para salvar no Pinterest.