Viajando...

Vai viajar?

Encontre aqui dicas para a sua viagem...

3 dias para curtir Santiago

Geograficamente localizada bem no centro do país, Santiago costuma ser um ponto de partida para vários roteiros chilenos, como a Região dos Lagos, ao sul, as estações de esqui, as cidades do litoral, e a região de desertos, ao norte. Mas mesmo que ela não seja o seu principal destino, sempre vale dedicar pelo menos dois dias inteiros para conhecer suas principais atrações e aproveitar o clima e a culinária dos bons restaurantes locais.

Para uma viagem que tinha como foco San Pedro de Atacama, passar três dias em Santiago foi ideal para descansar e visitar alguns dos seus principais pontos turísticos. Considerando que teríamos pouco tempo para andar pela cidade, ficar hospedados em um hotel bem localizado seria um ótimo começo. Por isso, escolhemos um hotel no bairro da Providencia, próximo a bons restaurantes e de uma estação do metrô (Vilafranca Petit Hotel). Foi uma excelente escolha!

Santiago

No começo do primeiro dia, aproveitamos para dar uma volta à pé pelo bairro da Providencia. Esse bairro é uma graça, com ruas arborizadas e cheio de casas e prédios residenciais. Pegamos o metrô na estação Manuel Montt e saltamos em Baquedano, no bairro de Bellavista. Esse é um bairro mais agitado, cheio de restaurantes, bares e casas noturnas. Durante o dia as ruas ficam mais tranquilas, e a animação fica por conta dos estudantes universitários.

Andamos pela Rua Pío Nono até o Parque Metropolitano de Santiago, também conhecido como Cerro San Cristóbal, que é um dos principais mirantes da cidade, e onde fica localizado o Zoológico Nacional.

Santiago

O Cerro San Cristóbal é o segundo ponto mais alto de Santiago, e a subida é feita por um funicular (inaugurado em 1925!). Lá de cima se tem uma das mais lindas vistas da cidade com a Cordilheira dos Andes ao fundo. Por isso, importante deixar para fazer esse passeio em um dia de sol. E ainda assim, torcer muito para que a visibilidade esteja boa. No dia em que fomos, não tivemos muita sorte… e uma camada cinza pairava sobre a cidade.

Descemos novamente pela Rua Pío Nono, e paramos para conhecer e comer algo rápido no Pátio Bellavista, um local super animado, repleto de bares, lojas de suvenires e restaurantes. Vale reservar um tempo para conhecer esse lugar, que passou a ser uma das atrações da cidade.

À noite, jantamos no Astrid & Gastón, considerado um dos melhores restaurantes da América Latina. Dica importante: deve-se fazer reserva com antecedência, principalmente para jantar durante o final de semana.

No segundo dia, conhecemos o centro histórico da cidade, a começar pelo Mercado Central. Pegamos novamente o metrô e saltamos na estação de Puente Cal Y Canto. O Mercado Central é um dos principais pontos turísticos da cidade. Declarado Monumento Histórico Nacional em 1984, a construção de ferro inglesa de 1872 reúne uma infinidade de barracas de peixes e crustáceos frescos, junto a restaurantes, cujos representantes ficam aos gritos disputando por clientes. Um tanto quanto insuportável. Por isso, repasso uma dica que me foi super útil: é furada comer por ali!

Santiago

De lá fomos andando até a Plaza de Armas, que é o coração e o “marco zero” da cidade. Visitamos a Catedral Metropolitana, e seguimos em direção ao Palácio de la Moneda, que é a sede da Presidência da República. É possível fazer uma visita guiada pelo seu interior. Para isso, deve-se agendar previamente por e-mail. Mas a grande atração do Palácio é a troca da guarda presidencial, que ocorre a cada dois dias na praça em frente – Plaza de La Constitución – e costuma ser muito disputada pelos turistas (clique aqui para mais informações).

De lá continuamos nossas andanças. Passamos pelo Teatro Municipal e Cerro Santa Lucia, paramos para comer pelo caminho, e seguimos para o Parque Florestal, que é um espaço verde muito bonito e bastante utilizado para lazer. Terminamos nossa caminhada no Museo Nacional de Bellas Artes, que fica ao lado do Museo de Arte Contemporâneo.

Santiago

Infelizmente, só conseguimos entrar no MNBA, onde vimos uma exposição de artistas chilenos e estrangeiros, com obras dos séculos XIX e XX. A lojinha do museu também é bem interessante. O MAC ficará para uma próxima oportunidade.

Para a nossa despedida, reservamos uma mesa para jantar no Osaka, um dos melhores restaurantes de culinária nikkei. Escolha perfeita para terminar uma viagem!

terceiro dia foi utilizado apenas para o deslocamento da volta, já que o horário do nosso voo era às 13h.

Confira no mapa o que andamos no segundo dia. Pode parecer muito, mas é bem possível de ser feito!

Outra opção, é fazer esse caminho de metrô, pois existem estações relativamente próximas a cada uma dessas atrações.

Mapa Santiago 2

 

DEIXE UM COMENTÁRIO