Viajando....

Vai viajar?

Encontre aqui dicas para a sua viagem...

O que ver na Praça Vermelha e em seus arredores

Principal cartão postal de Moscou, e um dos mais famosos de todo o mundo, a Praça Vermelha tem uma beleza que impressiona! Não é à toa que as palavras russas para “vermelha” (“krasnaya”) e para “bonita” (krasivaya”) têm a mesma origem. Por conta de suas inúmeras atrações, todas imperdíveis, um dia é pouco para conhecê-la detalhadamente, por isso, vale reservar dois dias do seu roteiro para essa região.

Como chegar:

A Praça Vermelha é o coração de Moscou, de onde partem as principais ruas da cidade. A melhor maneira de chegar até ela é por meio do metrô, o principal e mais eficiente meio de transporte local. Existem 3 estações próximas à praça: Ploshchad Revolyutsii, Teatralnaya Okhotniy Ryad, algumas das mais lindas estações da cidade.

Aliás, conhecer as estações de metrô moscovitas é outro programa obrigatório da sua viagem! Conto sobre isso com mais detalhes aqui.

.

O que ver:

Mausoléu do Lênin

Apesar das constantes filas, vale a pena esperar para ver o corpo embalsamado de Lênin, o líder da revolução russa, morto em 1924. Alguns classificam o passeio como bizarro, mas ainda que dure apenas 5 minutos, achei interessante ver de perto um dos personagens mais importantes da história mundial, morto há quase 100 anos.

Bolsas e mochilas devem ser deixadas do lado de fora e fotos são extremamente proibidas. Além disso, um forte esquema de segurança impede que os visitantes conversem, e até mesmo parem para olhar com calma o corpo (que se parece muito com um boneco de cera).

Atenção ao horário de funcionamento: terça, quarta, quinta, sábado e domingo, das 10 às 13h. Prefira os dias de semana, pois geralmente nos finais de semana a fila começa a partir das 7 da manhã!

A entrada é gratuita.

.

Necrópole da Muralha do Kremlin

Ao lado do Mausoléu de Lênin e junto à muralha do Kremlin está a Necrópole da Muralha do Kremlin, onde estão sepultadas conhecidas e influentes personalidades soviéticas, como o cosmonauta Iuri Gagárin, a comunista alemã Clara Zetkin e os líderes políticos Stálin, Brejnev, Andropov e Molotov. Konstantin Chernenko, presidente soviético que morreu em 1985, foi a última pessoa a ser enterrada ali.

.

Kremlin

Logo após o Mausoléu do Lênin, está a entrada para o Kremlin de Moscou, ou simplesmente Kremlin, que significa “fortaleza dentro de uma cidade”.

São cerca de 30 hectares, com diversas atrações, como catedrais, igrejas, museus, palácios, praças, jardins e a sede do governo, com edificações que datam do século XIV. Recomendo reservar uma tarde inteira para esse programa.

Para entrar são basicamente 4 tipos de ingressos: 500 rublos para visitar o conjunto de Catedrais; 700 rublos para visitar o Palácio do Arsenal; 500 rublos para o Fundo de Diamantes; e 250 rublos para visitar as exposições no Campanário de Ivan. Compramos para as Catedrais e para o Fundo de Diamantes. Quem preferir, pode comprar os ingressos antecipadamente pelo site oficial.

A entrada é pela Torre da Trindade (17 no mapa), a mais alta das 19 torres do Kremlin. Ao entrar por ela, o primeiro prédio que vemos, logo à direita, é o Palácio Estatal do Kremlin (11 no mapa), uma construção modernosa dos anos 60, muito diferente de tudo que encontraremos dali em diante. Construído para a realização das conferências do Partido Comunista, hoje é usado pela Companhia de Balé do Kremlin e para a realização de shows.

Seguindo em frente, vamos em direção à Praça das Catedrais, com lindas catedrais e igrejas bizantinas. A primeira delas é a  Igreja dos 12 Apóstolos, com cúpulas prateadas, que fica no interior do Palácio do Patriarca (5 no mapa). Ela abriga uma exposição que mostra a história e as peculiaridades da cultura russa no século XVII.

Ao seu lado encontramos a Catedral da Assunção (2 no mapa), com cinco brilhantes cúpulas douradas. Sua construção foi iniciada em 1475, e durante 6 séculos foi considerada a principal catedral da Rússia. Seu interior é incrível, com pinturas de renomados artistas russos da época. Desde a Revolução de 1917, a catedral foi transformada em museu. Repare na riqueza de detalhes da porta principal! Sem dúvida, vale muito a pena entrar para conhecê-la melhor!

Adiante, encontramos o Tsar Pushka (ou “Tsar dos Canhões”), um canhão de 18 toneladas, considerado o maior do mundo (8 no mapa). Reza a lenda que ele foi construído apenas como uma demonstração simbólica do poderio militar e da engenharia russa, já que nunca chegou a ser usado. Vá preparado para a multidão de pessoas querendo tirar uma foto ao lado do famoso canhão!

Logo em seguida, está localizado o Tsar Kolokol (ou “Tsar dos Sinos”), também considerado o maior e mais pesado do mundo, com 200 toneladas (9 no mapa). Construído em 1733, foi quebrado por um incêndio em 1737, quando um pedaço de 11 toneladas se separou dele. Hoje em dia, é uma das grandes atrações do Kremlin.

Próximo ao Tsar Kolokol está o Campanário de Ivã, o Grande (7 no mapa), de 1600, que durante muitos anos foi considerada a maior construção de Moscou (na foto, à direita).

Um pouco mais adiante, está a Catedral do Arcanjo São Miguel (4 no mapa), construída em 1505. Suas cinco cúpulas, douradas e prateadas, representam Jesus Cristo e os Quatro Evangelistas, e no interior a decoração retrata as vitórias do exército russo.

Ainda na Praça das Catedrais encontramos a Catedral da Anunciação (3 no mapa), também ortodoxa, construída entre 1484 e 1489, sendo um dos mais antigos monumentos do Kremlin. Suas lindas cúpulas e detalhes em dourado chamam a atenção de todos que passam ao seu redor. Para mim, é a mais bonita!

Menor e mais escondida, a Igreja da Deposição das Vestes começou a ser construída em 1484. Com apenas uma cúpula, serviu durante muitos anos como igreja particular dos patriarcas russos. Atrás dela encontramos o Palácio de Terem, com 11 cúpulas douradas. Apesar de não estar aberto à visitação, a foto das suas cúpulas é uma das mais conhecidas de todo o Kremlin.

Outra atração incrível é o Fundo de Diamantes, uma exposição permanente que reúne valiosas jóias imperiais e soviéticas, dentre elas imensos diamantes e a maior safira do mundo! Apesar de estar localizado no segundo piso do Palácio do Arsenal, a entrada é cobrada à parte. Ainda que tenha um forte esquema de segurança, ao sairmos da exposição, subimos uma escada e – mesmo sem ingressos – acabamos entrando no Palácio do Arsenal, onde estão guardados os tesouros dos czares russos acumulados durante vários séculos. São mais de 4.000 itens, que vão desde antigos trajes e vestes dos czares, paramentos da hierarquia da Igreja Ortodoxa Russa, armas e carruagens, à maior coleção de ouro e prataria de artesãos russos. Valeu ter conhecido. Mas, para quem tiver pouco tempo, recomendo visitar somente o Fundo de Diamantes. Aqui, mais uma vez, o uso de câmeras fotográficas e celulares é proibido.

Horário de funcionamento do Kremlin: de sexta-feira à quarta-feira, das 10 às 17h (às quintas-feiras não abre).

Importante: dentro do Kremlin não há lanchonetes, nem restaurantes. Por isso, vá preparado para não passar fome.

.

Catedral de São Basílio

O ponto alto da Praça Vermelha! Linda de todos os ângulos. Confesso que quase chorei quando a vi de perto pela primeira vez. Vale reservar algumas horas do seu dia para contemplar com calma a riqueza de seus detalhes.

Construída entre 1555 e 1561, sob a ordem do czar Ivan, o Terrível, a catedral ortodoxa multicolorida marca o centro geométrico da cidade. Seu projeto, que lembra a chama de uma fogueira subindo ao céu, é único na arquitetura russa. Reza a lenda que Ivan deixou cego o arquiteto autor da obra, para que ele nunca mais construísse algo tão magnífico para outra pessoa.

Uma curiosidade: a cor original da catedral era branca, para combinar com a pedra branca do Kremlin, enquanto as cúpulas eram douradas, como são até hoje as catedrais do interior da fortaleza. Somente a partir do século 17 que a fachada e as cúpulas começaram a ser pintadas nas cores notáveis que são vistas hoje, o que a torna ainda mais especial.

Em frente à catedral, há uma estátua de bronze de 1808, que representa o açougueiro e o príncipe, em comemoração à expulsão dos poloneses.

A entrada ao seu interior é pago: são 250 rublos para adultos e 50 rublos para crianças.

Diferente das igrejas tradicionais, a catedral não tem somente um único espaço, já que ela é formada pela junção de 10 capelas. Suas paredes e tetos são todos delicadamente pintados, dando um ar ainda mais colorido ao local. As gravuras religiosas contam um pouco da história da igreja ortodoxa russa até as vitórias militares de Ivan.

Para tornar a visita mais especial, diariamente se apresenta no interior da catedral um grupo de homens que canta músicas religiosas ortodoxas. Ficamos tão emocionados com a apresentação que acabamos comprando o CD do grupo.

Em 1990, o Kremlin e a Praça Vermelha foram considerados Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Horário de funcionamento: abre diariamente, das 11 às 17h (inverno) e das 10 às 19h (verão).

Ingressos: adultos: 250 rublos; crianças: 50 rublos.

.

Shopping GUM

GUM é a sigla em russo para Lojas de Departamento Estatais, existentes durante a era soviética. A unidade mais famosa é a da Praça Vermelha, que em 1991 virou um shopping center – o maior do país – repleto de lojas de grifes badaladas. Fica em frente à entrada do Kremlin e ao Mausoléu do Lênin (na foto abaixo, à direita).

Construído inicialmente por ordem da czarina Catarina II para ser um centro comercial, teve que ser reconstruído após um grande incêndio em 1812. O projeto atual é de 1889 e o destaque fica por conta do lindo teto envidraçado, com 14 metros de diâmetro, que fez a construção ser única em seu tempo.

Mesmo para quem não pretenda fazer compras, uma visita ao seu interior é obrigatória, principalmente pela beleza de sua arquitetura.

Além do que, é o único local na Praça Vermelha onde se consegue comer algo. Nós aproveitamos para almoçar em um restaurante no terceiro piso, de comidas tradicionais russas, chamado Stolovaja n. 57, que acabou não sendo uma boa experiência. Mas existem outros cafés e restaurantes no shopping.

Horário de funcionamento: abre diariamente, das 10 às 22h.

Ingressos: a entrada é gratuita.

.

Catedral de Kazan de Moscou

Também conhecida como Catedral de Nossa Senhora de Kazan, é uma igreja ortodoxa russa, localizada próxima ao Shopping GUM.

Construída originalmente em 1636, foi destruída em 1936 durante o Governo Stálin, com o objetivo de garantir o acesso de soldados à Praça Vermelha durante as paradas militares. Após a queda da União Soviética, a igreja foi imediatamente reconstruída, tendo como base as medições e fotografias detalhadas da construção original. O prédio atual é de 1993.

A fachada diferenciada de tijolos vermelhos, com arquitetura neoclássica, a torna um local muito procurado pelos turistas. Parece que seu interior também é bem interessante. Não tivemos tempo para conhecê-la mais detalhadamente.

Horário de funcionamento: todos os dias, das 8 às 20h.

Ingressos: a entrada é gratuita.

.

Museu Histórico do Estado

Muitos não sabem, mas o famoso, imenso e imponente prédio avermelhado da Praça Vermelha é o Museu Histórico do Estado.

Construído no fim do século XIX a mando do imperador Alexandre II, sua estrutura remete ao revivalismo russo com um toque nitidamente gótico, especialmente por conta de suas duas torres voltadas para a Praça Vermelha. Confesso que antes de estudar mais sobre a Rússia e conhecer a Praça Vermelha, achava que esse prédio era o palácio do governo, de tão bonito que é!

O museu contém a maior coleção sobre a história da Rússia, desde a antiguidade até o final do século XIX. Seu acervo é estimado em 4,5 milhões de artigos diversos e mais de 15 milhões de documentos importantes, porém nem todos eles estão expostos. Muitos desses objetos foram doados pela elite e pelos comerciantes russos.

Por falta de tempo, acabamos não visitando o museu.

Horário de funcionamento: de setembro a maio, abre de segunda à sexta-feira, das 10 às 18h, e aos sábados e domingos, das 10h às 21h. De junho a agosto, abre todos os dias, das 10 às 19h. Fecha às terças-feiras durante todo o ano.

Ingressos: adultos: 400 rublos; crianças: 60 rublos.

.

Rua Varvarka (ou Ulitsa Varvarka)

Ao lado da Praça Vermelha fica a Rua Varvarka, um pedacinho de história que sobreviveu às demolições no bairro de Zaradié nos anos 60. Em poucos metros é possível ver casas dos séculos 16-17 e várias igrejas lindas.

Vale aproveitar a visita à Praça Vermelha e reservar 20 minutos para conhecer uma das mais antigas e bonitas ruas de Moscou.

.

Para salvar no Pinterest.