Viajando....

Vai viajar?

Encontre aqui dicas para a sua viagem...

Arashiyama e o famoso Bosque de Bambus

Arashiyama é um bairro localizado a 15-20 minutos de trem do centro de Kyoto. É uma região muito apreciada pelos próprios japoneses e que aos poucos acabou virando um local de visita obrigatória para qualquer turista, principalmente por causa do famoso Bosque de Bambus, chamado de Sagano Bamboo Forest. Mas ao pesquisar melhor sobre essa área, descobri que além do bosque existem várias outras atrações interessantes, dentre elas um dos cinco principais templos de Kyoto. Por isso, recomendo fortemente reservar um dia de sua viagem para fazer essa day trip!

Partindo da estação central de Kyoto, basta pegar um dos trens da JR Sagano Line (também conhecida como JR Sanin Line) – que saem a cada 30 minutos – e saltar na Saga-Arashiyama Station (a passagem custa 240 ienes/pessoa). Quem tiver o Japan Rail Pass não precisa pagar nada a mais pelo trajeto.

Arashiyama mapa

Arashiyama é relativamente pequeno e é possível conhecer todas as principais atrações à pé. Veja abaixo no mapa.

Arashiyama mapa 2

Togetsu-kyo

Logo que chegamos fomos em direção a Togetsu-kyo, conhecida como “a ponte da travessia lunar”. Essa ponte, de 155 metros sobre o Rio Katsura, é um lugar cênico visitado há anos pelos próprios japoneses e que virou referência de passeios em Kyoto. O nome da ponte se origina de uma lenda envolvendo o Imperador Kameyama que, ao navegar no rio sob a lua cheia, disse que a lua parecia cruzar a ponte. A ponte atual, reconstruída em 1934, parece ser de madeira, mas tem colunas e vigas feitas de concreto armado. Somente os parapeitos usam ciprestes.

Arashiyama Togetsu

Do outro lado da ponte, vemos o Monte Arashiyama, que durante a primavera fica repleto de cerejeiras em flor, e durante o outono fica com um colorido vermelho impressionante. São os períodos mais cheios de turistas. Já durante o verão, acontece o chamado “Manto-Nagashi”, ou a “flutuação de dez mil lanternas”, quando as pessoas escrevem seus desejos em lanternas “toro” e deixam-as flutuar no rio. Deve ser bem bonito também! Infelizmente não vimos nada disso, mas gostamos bastante do passeio.

Quem preferir, pode cruzar a ponte de riquixá, cujos serviços são oferecidos nos arredores. Para saber mais sobre esses passeios, vale ler o post em que conto como foi a nossa experiência em Tokyo: Andando de riquixá por Asakusa.

.

Bosque de Bambus ou Sagano Bamboo Forest

Uma vez tendo conhecido a famosa ponte, fomos direto para a grande atração do lugar: o Bosque de Bambus, considerado um dos atrativos naturais mais incríveis e mais fotografados do Japão. Localizado entre o Templo Tenryu-ji e o Santuário Nonomiya, o caminho de mais de 500 metros de comprimento é formado por florestas de bambu crescendo densamente no seu estado natural. É realmente lindo!

Sagano Bamboo Forest

O caminho pode ser percorrido à pé, de bicicleta ou de riquixá. Preferimos conhecê-lo à pé, para podermos tirar muitas fotos com calma.

Arashiyama Sagano

Esse caminho costuma ser muito cheio. Para quem quiser pegá-lo mais vazio, recomendo chegar no comecinho da manhã e evitar os finais de semana. Não há cobrança de entrada e fica aberto 24h.

Antes de chegar ao final do bosque, há uma entrada para o Templo Tenryu-ji. Recomendo seguir adiante e deixar para conhecer o templo na volta, até porque é a partir dali que o caminho fica ainda mais bonito. Nós andamos até o final e decidimos conhecer primeiro outro tesouro de Arashiyama: Okoshi Sanso.

.

Okochi Sanso

É a mansão particular da estrela do cinema mudo japonês Denjiro Okochi (1898-1962), cujos jardins estão abertos para visitação.

Arashiyama Okochi Sanso

“Sanso” significa “vila de montanha”. Os 20 hectares da propriedade contêm a antiga casa de Okochi, uma casa para a cerimônia de chá, um santuário, um museu ao ar livre e lindos jardins. Por ser um terreno mais alto, dali tem-se uma vista incrível para os arredores, incluindo o Monte Hiei.

Okochi Sanso

A entrada inclui uma xícara de chá verde e um docinho tradicional delicioso, servidos ao final do passeio. Super simpático.

Arashiyama Okochi Sanso chá

Horário: das 9 às 17h, todos os dias da semana.

Valor: 1.000 ienes/pessoa (estudantes pagam meia entrada).

.

Dali, seguimos adiante em direção ao parque Kameyama-koen em busca dos macacos de cara vermelha. Não tivemos sorte e acabamos sem ver um sequer! Provavelmente, para encontrarmos algum, teríamos que chegar em um horário mais cedo. Mas acabou sendo um passeio agradável, principalmente para sair um pouco dos grandes grupos de turistas.

Não há cobrança de entrada e o parque fica aberto 24h.

Voltamos andando pela beira do Rio Katsura em direção ao Templo Tenryu-ji.

.

Templo Tenryu-ji

Eleito pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade, o templo foi erguido em 1339 pelo shogun Ashikaga Takauji em um gesto de luto pelo Imperador. É considerado um dos cinco principais templos de Kyoto.

Arashiyama Tenryu 1

Seu jardim – Jardim Hojo – foi construído em 1345 pelo Sacerdote Muso Soseki (1275-1351), um mestre Zen proeminente. Dizem que antes desse jardim, não havia jardins secos tão bem desenhados no Japão.

Arashiyama Tenryu 3

Mas o belo jardim de Tenryu-ji não é um simples jardim seco, e sim uma fusão de três elementos-chave: 1) areia branca disposta num padrão de suaves ondas, representando as típicas águas japonesas; 2) rochas e pedras dispostas ao redor de um lago, o qual tem a forma de um caractere chinês “kokoro”; e 3) as vistas do Monte Arashiyama e do Monte Kameyama ao fundo.

Arashiyama Tenryu-ji

Ainda que o templo tenha sido reconstruído após uma sucessão de oito incêndios, o jardim permanece em seu estado original!

Arashiyama Tenryu-ji

A visita ao templo pode ser feita de duas formas: apenas aos jardins, ou aos jardins e ao interior das construções. Sugiro começar pelo interior das construções e deixar os jardins para o final, para poder dar uma volta com mais calma e aproveitar cada momento.

Arashiyama Tenryu 2

Horário: das 8:30 às 17:30h (de outubro a março, das 8:30 às 17h).

Valor: 500 ienes/pessoa para os jardins e mais 300 ienes/pessoa para andar pelo interior do templo.

.

Onde comer: Matsugae

Muitos não sabem, mas Arashiyama tem a fama de concentrar alguns dos melhores restaurantes de tofu do Japão. Por isso, recomendo fortemente reservar algumas horas de sua day trip para almoçar e conhecer ao menos um desses restaurantes.

Durante nossa caminhada pela beira do Rio Katsura, passamos em frente a um local que logo nos chamou a atenção: Matsugae, um complexo de dois restaurantes, sendo um deles especializado em tofu. É claro que não resistimos.

O lugar é uma graça! Tem uma decoração típica japonesa e um lindo jardim.

Arashiyama tofu 1

Optamos pelo menu degustação “Utage” (2,800 ienes/pessoa), que vinha muito bem servido: entradinhas de tofu, tempura, arroz com peixinhos fritos, tofu tradicional (Soba Tofu) e tofu de chá verde (Maccha Tofu) e, para finalizar, uma pequena sobremesa. Para acompanhar, escolhemos a deliciosa cerveja Yebisu.

Arashiyama tofu 2

Que maravilha de almoço!

Arashiyama tofu 3

Depois dessa experiência inesquecível, pegamos o JR de volta para o centro de Kyoto às 17:30h.

.

Para salvar no Pinterest