Viajando....

Vai viajar?

Encontre aqui dicas para a sua viagem...

Por que ficar hospedado no Brooklyn?

Em nossa última viagem a Nova York decidimos alugar um apartamento no Brooklyn. Além de ser mais barato do que ficar hospedado em Manhattan, aproveitamos a oportunidade para conhecer uma região diferente e igualmente interessante da cidade. E não nos arrependemos!

Brooklyn é um dos cinco distritos de Nova York. É formado por diversos pequenos bairros, que nos últimos anos vêm sendo muito procurados tanto para moradia quanto para turismo. Para se ter uma ideia da grandiosidade dessa região, ela hoje abriga cerca de 30% da população da cidade, sendo a mais populosa.

Ainda que as principais atrações da cidade estejam localizadas em Manhattan, há muito o que ser feito no Brooklyn! Para se ter uma ideia, é possível fazer uma viagem a NY para explorar exclusivamente seus arredores. Esse foi um dos motivos que nos levaram a escolher essa região para alugar um apartamento. Assim, além de Manhattan, conseguiríamos conhecer com calma e mais detalhadamente alguns dos principais cantinhos desse distrito.

.

Onde ficar no Brooklyn?

O Brooklyn é relativamente grande e, por esse motivo, dependendo de qual bairro você estiver, pode ser complicado e demorado se deslocar para chegar até Manhattan. Por isso, quanto mais perto estiver de Manhattan, melhor (como em Brooklyn Heights, DUMBO ou Williamsburg). No entanto, essas localidades costumam ter uma hospedagem mais cara.

Buscando um equilíbrio entre preço e localização, optamos por ficar em Bedford-Stuyvesant – também conhecido como Bed-Stuy – um bairro histórico e central do Brooklyn.

Essa região é realmente uma graça! Ruas arborizadas, com casarões de tijolos aparentes marrons e muita street art, dão a ela um charme especial. Não é à toa que já foi cenário de séries de televisão e de filmes como o “Faça a Coisa Certa (Do the Right Thing)”, de 1989, do diretor Spike Lee. Se tiver sorte, como nós tivemos, você ainda pode ficar hospedado em um desses lindos casarões!

De qualquer forma, independente de qual bairro se hospedar, uma das principais dicas é: fique perto de uma estação do metrô! Sem dúvida, esse é o melhor meio para se deslocar tanto dentro do distrito, quanto para fora dele, pois dependendo do dia e do horário, o trânsito de veículos pode ser bastante intenso.

.

O que fazer no Brooklyn?

Essa região oferece tantas atrações, que 10 dias não foram suficientes para conhecer todas. Listo a seguir algumas das principais:

Prospect Park, Brooklyn Botanic Garden e Brooklyn Zoo

Projetado em 1867 pelos mesmos arquitetos do Central Park, o Prospect Park contempla a única área de floresta natural do Brooklyn. Possui mais de 230 hectares, sendo o segundo maior parque da cidade. É um lugar muito procurado pelos moradores locais para descanso e prática de esportes. Durante o verão acontecem muitos eventos ao ar livre, como feiras gastronômicas e festivais de música.

Um dos seus destaques é o carrossel de 1912, que foi todo restaurado e funciona com a caixa de música original. É uma graça! Te faz voltar no tempo e se sentir criança novamente. Vale conhecer.

-Horário de funcionamento do carrossel: de quinta a domingo, das 12 às 17h. US$ 2,5/pessoa.

-Horário de funcionamento do parque: diariamente, das 5 à 1 da manhã.

Na área do parque fica localizado o Brooklyn Botanic Garden. Fundado em 1910, reúne mais de 10 mil espécies de todo o mundo e tem como ponto alto o jardim de cerejeiras, onde durante a primavera ocorre a semana do “Sakura Matsuri”. Parece um ótimo programa, mas infelizmente não conseguimos conhecer.

-Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 8 às 16:30h; sábado e domingo, das 10 às 16:30h. US$ 8 (crianças entre 3-12); US$ 8 (adultos) e US$ 6 (idosos).

Também na área do parque encontramos o Prospect Park Zoo ou Brooklyn Zoo, fundado em 1935. É um zoológico relativamente pequeno, que abriga cerca de 400 animais, sendo a maioria de pequeno porte. Para mim, o destaque ficou por conta do “red panda” ou panda-vermelho, também conhecido como raposa-de-fogo, um lindo mamífero ameaçado de extinção.

Não há muitas atrações para adultos, mas é um excelente programa para crianças! Além de uma área com animais de fazenda, onde é permitido dar comida para bodes, cabras, pôneis e lhamas, há uma série de programas educativos acontecendo ao mesmo tempo, especialmente durante os finais de semana. O zoológico é administrado pela Wildlife Conservation Society, que promove inúmeras ações voltadas para a conservação das espécies. Não existe possibilidade das crianças ficarem entediadas!

-Horário de funcionamento: diariamente, das 10 às 16:30h. US$ 5 (crianças acima de 12 anos); US$ 15 (adultos) e US$ 8 (idosos).

Há poucos minutos de caminhada a partir do Brooklyn Zoo, encontramos o Tom’s Restaurant, um restaurante de 1936, bem tradicional, com garçons simpáticos, sem frescura alguma e com uma comida deliciosa! Aproveitamos para almoçar por ali. A experiência foi tão bacana que merece um post à parte!

.

Brooklyn Museum

Ao lado do Prospect Park está o Brooklyn Museum, o segundo maior museu de Nova York (perde apenas para o Metropolitan Museum  of Art) e um dos maiores do país, que abriga importantes coleções de arte africana, asiática, sul-americana e americana.

Além da coleção permanente, o museu organiza exposições temporárias bem interessantes. Vale entrar no site para saber mais sobre a programação do momento. Infelizmente, esse foi outro programa que não conseguimos fazer.

-Horário de funcionamento: de quarta a domingo, das 11 às 18h.; às quintas, das 11 às 22h. Crianças e adolescentes até 19 anos não pagam; US$ 10 (estudantes e idosos) e US$ 16 (adultos).

.

Brooklyn Bridge Park e Jane’s Carousel

Brooklyn Bridge Park está localizado às margens do Rio Hudson, entre as duas pontes mais famosas de Nova York: a Brooklyn Bridge e a Manhattan Bridge. Com 34 hectares de extensão, é muito procurado por seus jardins e trilhas ao longo do rio. Mas o ponto alto mesmo é a incrível vista para Manhattan e para a Estátua da Liberdade! Vale sentar no gramado ou nas mesas ali disponíveis por alguns minutos apenas para contemplar esse lindo visual.

Quem se animar pode alugar uma bicicleta e percorrer todo o parque pela ciclovia Greenway, que interliga o Pier 1 ao Pier 6. Além da ciclovia, o parque oferece inúmeras outras opções para os amantes de esportes, como pistas para corrida, quadras diversas e infraestrutura para a prática da pesca. Durante o verão, é comum encontrar sessões de cinema ao ar livre. Tem tudo para ser um ótimo programa!

-Horário de funcionamento do parque: diariamente, das 6 à 1 da manhã.

Uma atração histórica do parque é o Jane’s Carousel, um lindo carrossel de 1922, na beira do Rio Hudson, que fica no interior de uma construção toda de vidro projetada pelo ateliê Jean Nouvel, que inclusive ganhou prêmio de design. Tal como o carrossel do Prospect Park, essa é uma atração para todas as idades! Infelizmente estava fechado no dia em que fomos.

-Horário de funcionamento do carrossel: entre 14/05 e 17/09, das 11 às 19h; fecha às terças; entre 18/09 e 13/05, das 11 às 17h; fecha de segunda a quarta. US$2/pessoa.

Próximo ao carrossel é possível encontrar alguns prédios e galpões que foram recentemente restaurados e transformados em complexos de restaurantes, lojas e escritórios. Um desses é o Empire Stores DUMBO, um antigo galpão com uma grande loja de decoração e várias opções de restaurantes. A vista do terraço parece ser incrível!

.

DUMBO

DUMBO é uma abreviação para “Down Under Manhattan Bridge Overpass” e dá nome à região localizada nos arredores da Manhattan Bridge. Originalmente uma área industrial, passou a ser muito procurada a partir dos anos 70 por artistas e jovens em busca de espaços amplos e baratos próximos à Manhattan. Já nos anos 80 transformou-se numa das áreas mais caras do Brooklyn e vem sendo cada vez mais ocupada por apartamentos de luxo, galerias de arte e empresas de tecnologia.

Aqui existem várias opções de lojinhas, galerias, restaurantes e bares, para os mais diversos gostos. Nós acabamos almoçando no AlMar, um restaurante italiano muito gostoso, com uma decoração moderninha e atendentes muito simpáticos.

.

Manhattan Bridge e o cruzamento da Washington St. com a Water St.

Inaugurada em 1909, a Manhattan Bridge é uma ponte suspensa que liga DUMBO a Chinatown, atravessando o East River. Cenário de inúmeros filmes, não vai ser difícil reconhecê-la, principalmente se você estiver na esquina entre a Washington St. com a Water St.

Esse visual é um dos cartões postais mais conhecidos da cidade, que inclusive ficou imortalizado no filme “Era uma vez na América” (Once Upon a Time in America), de 1984, estrelado por Robert De Niro e James Woods. Não deixe de tirar uma foto por ali!

.

Brooklyn Bridge

A ponte pênsil mais longa do mundo ficou pronta em 1883, após 14 anos em construção. Ícone da cidade de Nova York, foi designada um marco histórico nacional em 1964.

Cruzar esta ponte a pé é um programa super gostoso para se fazer, especialmente em um dia de sol, e melhor ainda se for no final da tarde.

Recomendo andar do Brooklyn em direção à Manhattan, para ter uma vista maravilhosa da linha do horizonte de Nova York. Eu fiquei apaixonada pelo visual!

O passeio fica ainda mais especial com um pôr do sol lindo como esse!

Dependendo do horário e do dia da semana, ciclistas nervosos podem passar em alta velocidade pela ciclovia. Por isso, é muito importante escolher bem o horário do passeio e se manter exclusivamente na faixa de pedestres. Reserve pelo menos 1 hora para esse programa.

.

Williamsburg

Williamsburg é a região mais hipster não só do Brooklyn, mas de toda Nova York! Um bairro repleto de bares e restaurantes charmosos, lojas de vinil, brechós e muita street art.

É uma região imperdível, que merece ganhar um dia do seu roteiro!

Para mais detalhes sobre o que vimos por ali, acesse o post exclusivo sobre Williamsburg.

.

Para salvar no Pinterest.